terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Conto: Clamor dos Inocentes (1/3)


Durante o secundário, aos meus 15 anos de idade, eu decidi que já estava cansado de apanhar todos os dias.
Para um garoto nessa idade, isso pode ser tão aterrorizante ao ponto se tornar insuportável. É como Will, meu amigo, costuma dizer: É melhor ser humilhado apanhando, do que sendo um mísero babaca 1-7-1. Nunca mais pegaremos nenhuma garota, se fizermos isso.
Infelizmente, aquilo não costumava soar tão estupido quanto soa hoje. Nunca havíamos “pegado” garota alguma naquela época, e mesmo assim, Will e eu levamos aquela babaquice como se fosse um lema por praticamente um ano inteiro.
No fim do ano letivo anterior, sabíamos que as coisas haviam piorado bastante – antes de começar a melhorar – para o covarde do Bob Miller, quando ele delatou Patrick Hannigan para o diretor da nossa escola pelo que poderia ser a quinta vez. Bob perdeu mais alguns dentes e teve um de seus braços quebrado, mas nada que já não houvesse acontecido antes. Aquela situação só foi mudar quando o conselho tutelar apareceu e deu uma dura no pai de Patrick, que, por conseguinte, fez o mesmo com filho. Então, depois daquilo, Bob Miller finalmente poderia ser um gordinho nerd e feliz. Mas sozinho.
No início pensamos que Will tinha razão quanto a questão de se tornar 1-7-1 e como isso afeta negativamente sua popularidade na escola. Bob nunca foi um garoto popular, porém, depois daquilo, até mesmo seus amigos nerds se afastaram dele. Algumas semanas depois nós descobrimos que aquilo não tinha nada a ver com popularidade, mas sim com o fato de Patrick ter ameaçado os outros garotos, caso eles ficassem juntos de Bob. E eles cumpriram aquilo à risca, durante as aulas.
Ao menos enquanto aquilo foi necessário.
Bob Miller já não era mais incomodado, mas sabendo o que Will e eu pensávamos que sabíamos, achamos melhor viver sob o nosso lema quando nos tornamos os novos alvos de Patrick.
Não éramos populares, nunca havíamos vencido uma briga ou beijado uma garota, mas, o pior de tudo, era que nos contrastávamos de uma forma pavorosamente ridícula. Estávamos nos famosos clichês de amizade. O gorducho, e o magricela.
Confesso que, mesmo temendo perder a popularidade que todos sabiam ser inexistente – menos eu –, cheguei a cogitar, algumas vezes, seguir a tática de Bob Miller, mas nunca levei isso adiante. Nunca tive coragem para enfrentar as coisas que vêm depois disso.
 Bob era um covarde nato, e havia usado uma das táticas mais conhecidas de um covarde: chamar ajuda. Claro que, antes de funcionar, ele havia precisado recorrer àquilo umas cinco vezes, e a cada nova delação, mais partes de seu corpo saíam feridas.
Particularmente, eu até achava que se ele apanhasse mais uma vez ou duas, teria desistido de tudo e ficado quieto. Quem sabe até mudado de escola. Mas aquilo não havia sido necessário, porque seja lá o que o pai de Patrick houvesse feito a ele, deixou-o fora da sala de aula por três maravilhosos dias, antes de ele voltar com um dos braços enfaixados, e um buraco cicatrizado na testa. Segundo ele, havia apenas caído de bicicleta enquanto fugia do pai.
No ano letivo seguinte, quando Patrick se viu forçado a desistir de fazer de Bob seu saco de pancadas, sentiu-se igualmente forçado a escolher novos alvos, e foi quando Will e eu nos encontramos com ele e dois amigos seus no local errado, na hora errada. Nosso grande pecado foi ter esbarrado neles sem querer, e então nossa vida escolar se tornou uma tortura no pior sentido da palavra.
Após quase um ano dolorido aguentando as surras, ofensas e humilhações públicas, houve um momento onde a maior parte daquele medo que eu sentia deles se transformou em raiva. Depois de tanto tempo apanhando, chega um momento em que todos os hematomas e cicatrizes se tornam um lembrete de que você tem só um objetivo a cumprir.
Acabar com o filho da puta que fez aquilo.
Will ainda não havia chegado naquele ponto. Era praticamente um Rocky Balboa com gordura ao invés de músculos. Até hoje nunca conheci alguém que pudesse receber tanta porrada na cara e continuar de pé. Mesmo assim, ainda que Will não houvesse “chegado lá”, ele era uma massa humana de 80kg recheada com camadas extras de medo, e concordou comigo quando sugeri que algo precisava ser feito em relação àquela situação.
E é aí que entra Billy Jordan.
Eu não era idiota o suficiente para pensar que poderíamos fazer vingança com minhas próprias mãos, e mesmo Will, com toda sua massa corporal e resistência, não era corajoso o suficiente para aquele trabalho – muito menos tinha anos de prática em brigas de rua, como Patrick.
Em murmúrios dos corredores, ainda no ano passado – e, por vezes, naquele mesmo ano, eu acho – foi quando ouvimos falar sobre Billy pela primeira vez. Ele era um dos formandos da última turma. Um cara do qual ninguém sabia praticamente nada sobre; mas todos o temiam, e deduziam coisas.
As histórias sobre ele eram as mais insanas possíveis, e iam desde boatos de que ele havia trepado com metade das garotas do colégio, e até mesmo assaltado um banco com uma única bala na agulha. Geralmente era difícil discernir o que poderia ser verdade do que não era, apesar de que algumas coisas como o boato sobre o assalto ao banco, não eram tão difíceis assim.
O que se tinha de mais concreto sobre ele, eram igualmente boatos; estes, porém, com mais respaldo dos que já haviam o visto nos corredores da escola, algumas vezes, ou estudado com ele. Diziam que Billy era um cara reservado, alguém com quem você não iria querer brigar – isto é, por mais que ele pudesse dar motivos, nunca valia a pena revidar quando se tratava de Billy Jordan. A prova disso eram os três últimos caras que tentaram. Todos foram parar no hospital, enquanto ele, segundo diziam, não sofreu um arranhão sequer.
Eu já começava a pensar que Billy era algum tipo de monstro asqueroso e sanguinário; tão forte quanto o Hulk, e tão feio quanto o Jabba. 
Bem, ao menos pensava isso até conhece-lo, de fato.


FIM DA PRIMEIRA PARTE



79 comentários:

  1. Oi, João, tudo bem?
    Uau, você escreve muito bem. Fiquei presa ao conto do começo ao fim e estou bastante curiosa em relação a Billy Jordan. Quero saber se a dupla, com a ajuda do misterioso Billy, vão dar a merecida lição em Patrick.

    Beijos,
    Amanda
    http://www.confissoesfemininas.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Amanda! ;)

      Amanhã vou postar a segunda a parte, se quiser acompanhar será bem-vinda!

      Excluir
  2. Conto interessante.
    Não constumo muito ler contos e ainda mais com essa temática, mas gostei da escrita.
    Aguardo as próximas partes.
    Parabéns.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Suzzy. Amanhã deve sair a segunda parte,se quiser acompanhar será bem-vinda ;)

      Excluir
  3. Oie! Tudo bem?
    Adorei o seu conto, me lembrou meus anos na escola, nunca apanhei graças a Deus, mas sempre sofri com a chacota dos outros e isso não é legal, infelizmente as pessoas não se tocam disso! Vou ficar de olho aqui para ler a continuação do conto, você escreve muito bem *--*
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou feliz que tenha gostado, Nay! Parte da ideia do conto é mostrar a violência em si, mas também, como as próximas partes irão mostrar, o quanto isso pode ser sofrido e levar alguém a ter atitudes "controversas" sobre o caso.

      Amanhã vou postar a segunda a parte, se quiser acompanhar será bem-vinda!

      Excluir
  4. Já acabou?????
    Nooossa fiquei tão envolvida que fiz biquinho quando chegou na palavra "FIM" ali embaixo.
    Gostei e quero mais.
    Parabéns pela escrita, super envolvente e fluída.
    Vou aguardar ansiosamente pelas próximas partes.

    ResponderExcluir
  5. É incrível quando no alto da adolescência a gente não entende que pode pedir ajuda sem que isso seja humilhação. Porque em uma situação como a do conto, qualquer iniciativa de retaliação significa que pode tornar ainda pior a situação. Bem escrito, tenso e direto. Esperando pelas próximas partes. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Beta! No futuro farei um post de análise sobre essa questão, trazendo exemplos desse conto, como também de livros, filmes e séries...

      Ah, e amanhã devo postar a segunda a parte, se quiser acompanhar será bem-vinda!

      Excluir
  6. Oi, João!
    Sua escrita é envolvente, além do tema ser algo que devemos sempre conversar.
    Gostei do seu conto. Fico até com medo de saber como ele termina.
    Aguardo os próximos capítulos.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Crislane. Acredito que ele tem um desfecho um pouco trágico, porém, bastante legal. Haha. Amanhã estarei postando a parte dois, se te interessar ler ;)

      Excluir
  7. Sinceramente, estou com muito das próximas partes e já prevejo dor no coração com o final que a história pode ter, mas estou curiosa.
    Você escreve muito bem!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, muito Grato Ivi!

      Segunda parte já está saindo, caso queira acompanhar! ;)

      Excluir
  8. Olá meu anjo,

    Sua escrita é bem atraente e conquista pela forma da construção do enredo e da tensão entre os personagens. O recurso de deixar o mistério nas últimas linhas é uma estratégia maravilhosa.

    Louca para saber se isso vai render uma boa vingança ou não.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Joanice! Fico feliz que tenha gostado, caso queira continuar a leitura, será muito bem vinda!

      Link da parte 2: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  9. Olá,
    Como assim você acaba essa primeira parte desse jeito???!!!
    Fiquei mega curiosa para saber mais sobre Billy e como os dois garotos o conheceram. Será que irão formar um trio e conseguir tirar Patrick do pé dos dois?!
    Adorei a escrita cativante e como foi desenvolvendo os fatos no enredo. Mal posso esperar para ler a continuação!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, que bom que gostou Michele! Se quiser acompanhar a parte dois, será muito bem-vinda!

      Segue link da parte 2:http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  10. Respostas
    1. Olá! Se quiser ler a parte 2, o link é http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  11. Olá
    Gostei dessa primeira parte do conto, está bem tensa, e o gancho que voçê deixou aguça a curiosidade. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Daniele, se quiser o link da parte 2 é: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  12. Oi, tudo bem?
    Gostei muito do conto. Mostra bem o que se passa entre a maioria dos jovens. Devo confessar que fiquei curiosa pelo restante. Qual é a do Billy?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia, se quiser matar a curiosidade, tem a parte 2 aqui. Falando mais sobre o Billy
      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  13. Oie!
    Nossa, gostei dessa primeira parte, e já fiquei bem curiosa para saber como será a próxima.
    Muito bem escrito!
    Quando sai a próxima parte!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Carla, que bom que gostou! A segunda parte esta no link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
    2. Oi João!
      Muito obrigada por me passar o link, depois que li esse texto, não tem como ficar curiosa para saber mais.
      Bjks!
      Histórias sem Fim

      Excluir
  14. What? Como assim fim da primeira parte? Quero mais, João! (Se eu esquecer de olhar, pode me mandar seus links no inbox!)
    Adorei a estrutura! Vc escreve muito bem e com muito realismo. E a revisão está perfeita!
    Parabéns!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, grato Michele! Respondi inbox, porém, mas qualquer coisa o link é: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  15. Nossa, escreve bem hein? Eu gostei bastante e já estou curiosa para a segunda parte. Parabéns.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Karine! Se quiser acomapanhar a segunda parte, será muito bem vinda! O link é
      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  16. OIii!

    eu adoro contos, acho que são é uma ótima forma de entreter e nos prender. Gostei do seu conto, gostei da sua escrita! Muito envolvente! Parabéns e muito sucesso...

    Beijinos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Fico agradecido. Se quiser ler a parte 2, o link é http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  17. Olá! Uau! Parabéns! Amei o texto, a história está ótima, essa primeira parte me prendeu totalmente na história. Gostei bastante da gradação que o texto atinge, deixando o leitor querer mais. Aguardarei a segunda parte. Abraços!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzana, fico feliz que tenha gostado! Caso queira ler a segunda parte, será muito bem-vinda!

      Link da parte 2: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  18. Olá!
    Você leva muito jeito com a escrita, ela tem ótima estrutura e é uma história muito envolvente.
    Quero saber mais dessas relações e especialmente conhecer mais sobre Billy; quero ler muito a parte dois dessa história!
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa, muito obrigado pelo comentário.Se quiser acomapanhar as partes 2 e 3 elas já foram postadas no blog

      Excluir
  19. Ola parabéns pela ótima narrativa que prende a atenção do leitor, tema interessante e abordado de maneira leve, já quero saber o final dessa história e conhecer mais esse personagem que chegou. Abraços

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joyce. Que bom que gostou, as outras partes do conto já foram postados, caso voc~e queira ver ;)

      Excluir
  20. Não consegui me identificar com a história, nunca entendi essa coisa dos meninos e a violência e por isso não costumo ler coisas do gênero por não entrarem na minha cabeça. Sucesso pra você, espero que o pessoal curta a história completa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ju, tudo bem que não tenha se identificado. Toda a história tem um público, e as vezes você não faz parte dele. Acontece!

      Mas em relação a sua fala, as vezes não há gosto algum pela violência, mas ela é o único modo de ser/agir que uma pessoa conhece. Vendo como é o pai do Patrick, por exemplo, dá de pegar uma noção disso.

      De todo modo, vou escrever sobre gêneros e temas diferentes, se quiser, passa no blog qualquer hora pra ver se algum te interessa. Abraço ;)

      Excluir
  21. Opa, ótimo texto hein. Já estou a espera da continuação e adorei esse gancho!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol. Muito grato! Continuação tem no blog, caso quiser ler! Abraço!

      jvmedeiros.blogspot.com

      Excluir
  22. Oi, bacana o conto, a temática escola sempre é um pouco familiar e nos traz alguma lembrança. Também gostei da escrita.

    ResponderExcluir
  23. Olá ♥
    Gostei basteante da sua escrita, ela envolve o leitor de uma certa maneira.A temática da escola foi bacana, tempos de escola é sempre bom.Sempre temos aquelas pessoas atrás da popularidade, os valentões e os nerds. Quero saber mais sobre em .. Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Se quiser ler o resto, só entrar no link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  24. Olá, como vai?
    Adoreis eu texto, o conto foi muito bem escrito e desenvolvido, e me deixou com uma vontade louca de voltar e saber o que acontecerá. Farei isso. Continue assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Que bom que gostou. Todas as partes já foram postadas. Se quiser ler a segunda, só entrar no link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  25. Olá!

    Quando sai a próxima parte? Preciso dela desde já! Gostei muito de sua escrita. Primeira visita e já estou seguindo. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Que bom que gostou. Todas as partes já foram postadas. Se quiser ler o resto, só entrar no link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Se quiser, deixa o link do seu blog que vou seguí-lo também ;)

      Excluir
  26. Oi, tudo bom?
    Curti muito sua escrita,muito mesmo! Fiquei curiosa para saber o desfecho desse conto e como os garotos pretendiam parar o valentão. Espero saber o desfecho desse conto e ler mais coisas suas.

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, muito obrigado Polly ;)

      Todas as partes já foram postadas, se quiser ler a continuação é so acessar o link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Beijos

      Excluir
  27. Como assim começo a escrever e quando vejo já acabou?????
    Fiquei bem entretida e quando eu vi a falavra fim eu queria muito muito mais.
    Parabéns pela escrita!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!

      Se quiser mesmo ler o resto, tem a segunda parte no link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Beijos!

      Excluir
  28. Oiee
    Parabéns!!! você escreve muito bem!! Adorei!
    Já curiosa pela continuação. QUero saber no q isso vai dar.. esse Billy, heim! Sei não.
    Parabéns
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais. Que bom que gostou!
      Se quiser ver a continuação, só acessar o link: http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  29. Oi João, tudo bem?
    Adorei o seu conto, apesar de terminar logo na melhor parte, haha. Bullying é algo que infelizmente acontece bastante e pelo o que vi nesta primeira parte, até quem bate nos outros tem uma história triste por trás, um passado ruim. Espero que isso seja explorado nas próximas partes. E fiquei curiosa sobre esse Billy que todos julgam ser tão "fodão" e quero ver como ele irá ajudar os dois. Com certeza irei ler a continuação!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, fico contente que tenha gostado!
      Quando quiser ler a continuação, só acessar o link abaixo. Beijos!

      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  30. Oiee ^^
    Vim direto da segunda parte (hehe') para falar que adorei a primeira ♥ você escreve muito bem. Agora vou logo ler a terceira :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dryh, lembro do outro comentário, e fico contente que tenha gostado mesmo!
      Beijos!

      Excluir
  31. Oi, João!
    Seu conto é muito bom e fala sobre um tema muito recorrente e muito sério do universo jovem, a intolerância com as pessoas que não conseguem ser iguais à maioria. Sempre sendo perseguidas e humilhadas. Adorei, e acho que você já postou a segunda parte do conto. Cheguei atrasada e vou conferir se você já postou.
    Um abraço,
    Drica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Drica, fico contente que tenha gostado. Se quiser ler as outras, só entrar na pagina inicial do meu blog, que tem todas as partes postadas lá.

      Abraço!

      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  32. Olá João, escrita maravilhosa. Parabéns pela escolha do tema, precisamos de mais pessoas que abordem esse tipo de tema, é importantíssimo.
    Um beijo !

    ResponderExcluir
  33. Hi baby, tudo bem? gostei bastante dessa primeira parte, nota-se o seu dom para a escrita e gosto muito da premissa abordada! quero muito acompanhar a historia por isso já estou seguindo o blog, estou como Lily Valentim, se puder me seguir de volta ;) parabéns

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily. Eu amo cinema, e também já estou te seguindo. Que bom que gostou, vou deixar o link da segunda parte, caso queira ler!

      Abraço!

      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  34. Oiee, que conto mais gostoso de ler, já nos deixa na espera de querer mais! parabéns.

    Bjs

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janiele. Que bom que gostou, se quiser continuar lendo, tem o link abaixo!

      Abraço!

      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  35. Oi, tudo bem?
    Confesso que leio poucos contos, mas gostei bastante do seu, muito bom. Parabéns!

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa. Que bom que gostou, se quiser continuar lendo, tem o link abaixo:

      Abraço!

      http://jvmedeiros.blogspot.com.br/2017/02/conto-clamor-dos-inocentes-23.html

      Excluir
  36. Oi
    Muito interessante o seu conto, já a=corri pelo blog e achei as outras duas partes e já li e me surpreendi com o final. Você criou algo realista, um tema que é bem atual e ao mesmo tempo com um final inesperado que fez o leitor se surpreender por não cair no lugar comum. Parabéns pela criatividade.

    Talita - Viciados em Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, agradeço que tenha lido tudo e gostado. Abraço Talita!

      Excluir
  37. Olá!
    João, parabéns por esse texto maravilhoso! Você parou em uma parte que com certeza nos deixou querendo mais e vou ficar no aguardo dos próximos capítulos!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Carolina, que bom que gostou. Ah, e o resto do conto ja foi postado :)

      Excluir
  38. Oi, João.

    Acho que qualquer um que tenha sofrido com valentões na escola vai se identificar com essa primeira parte do conto.
    Eu espero que as coisas comecem a melhorar, mas espero que ele não resolva se fingar, pois violência nunca é a melhor opção.
    Parabéns pelo texto, você escreve muito bem.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tamires, fico agradecido com seu comentario. Caso te interesse, o resto do conto foi postado ;)

      Excluir
  39. Acredito que escolheu um ótimo tema para abordar mas, em minha opinião, sob uma ótica prejudicial. Bullying não se combate com violência... Sei que quando se é jovem, como os protagonistas, não se reflete muito isso, se busca sempre a solução mais imediata. Seja delatar, seja ficar apanhando, sair do caminho, se esconder, sair da escola.

    Precisa antes lembras que bullies estarão presentes no resto de nossas vidas e nem sempre poderemos resolver com socos.

    Gostei de sua escrita, ela prende bastante o leitor! Continuarei acompanhando!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  40. Oie!!
    Nossa que texto muito bem inscrito, parabéns!!
    Não sou muito adepta da leitura de contos, mas o seu conseguiu me chamar a atenção por se tratar inclusive de temas bem complicados atualmente né?
    Vou esperar a continuação e voltarei para confereir ansiosa.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir